Empresário que gravou prefeitos em Rondônia fugiu para os EUA; Glaucione diz que dinheiro era para campanha e foi vítima de armação

3574

Empresário que gravou prefeitos em Rondônia fugiu para os EUA; Glaucione diz que dinheiro era para campanha e foi vítima de armação

Fausto de Oliveira Moura, responsável pelas gravações e denúncias que resultaram na prisão dos prefeitos de Cacoal, São Francisco do Guaporé, Rolim de Moura e Ji-Paraná foi embora para os Estados Unidos, onde estava impedido de entrar por estar sem passaporte. Ele havia sido preso em duas operações contra corrupção em suas empresas, a Stigma e Tríade.

Em 2016, o Superior Tribunal de Justiça manteve a prisão de empresário acusado de corrupção no âmbito da operação Sitgma, desencadeada pela Polícia Civil e Ministério Público no município de Vilhena. Mesmo depois de ser colocado em liberdade provisória, o empresário retomou suas atividades e ampliou sua área de atuação para outros municípios.

Pelo que tudo indica ele continuará atuando por intermédio de terceiros. O empresário que responde por vários crimes conseguiu sair do Brasil e passará a viver com a família no exterior. A saída do empresário às pressas do Brasil, poderá livrá-lo de responder pelos crimes nas duas operações que esteve envolvido. Ele não foi indiciado por corrupção ativa na Operação Reciclagem e suas empresas continuam mantendo contratos com poder público.

Pessoas próximas a prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues relataram que recentemente ela foi procurada pelo empresário que manifestou o interesse em contribuir com a sua campanha à reeleição.  Na ocasião, o empresário, Fausto de Oliveira Moura disse que o “ritmo de obras e as realizações que a prefeita Glaucione Rodrigues tinha implantado no município era algo que merecia o reconhecimento e todo o apoio necessário”.

Pessoas que testemunharam a conversa relataram que o empresário Fausto de Oliveira Moura, a época, afirmou que os recursos doados, seriam simbólicos e demonstrava o seu apoio à reeleição da prefeita. A época, o empresário ainda fez questão de afirmar que a doação não tinha nenhuma conexão com o contrato que mantinha com a prefeitura. De acordo com as declarações das testemunhas, o empresário deixou claro que a doação seria da sua renda pessoal e que não precisava de nenhum favor ou facilitação por parte da prefeita, já que havia vencido uma licitação e que nunca teve problemas com o fluxo de recebimento pelos serviços prestados.

Desde então, o empresário passou a fazer doações de pequenos valores e gravar sorrateiramente esses momentos, como forma de se beneficiar com uma possível delação premiada e obter a liberação do seu passaporte para visitar a família que atualmente vive no exterior. Fausto Moura sempre demonstrou perfil discreto e fazia questão de se tornar amigo dos prefeitos dos municípios onde mantinha negócios. Isso rendeu a ele o envolvimento e prisão em duas grandes operações realizadas nos últimos anos, em Rondônia.

As acusações causaram estranheza entre os técnicos da prefeitura de Cacoal que de forma unânime reconhecem o esforço que a prefeita Glaucione Rodrigues fez para colocar a prefeitura de Cacoal com nota 9,6 no tema transparência da administração municipal. Segundo os técnicos, essa nota é o reconhecimento dos órgãos de controle e fiscalização e colocou o município de Cacoal em 1º lugar no ranking estadual em transparência e anticorrupção.

Entre as principais medidas adotadas pela prefeita Glaucione Rodrigues destaca-se a transmissão ao vivo pela internet de todas as licitações da prefeitura de Cacoal. Para os empresários que participam das licitações e aqueles que mantém contrato com a prefeitura essa iniciativa trouxe mais tranquilidade e transparência para as licitações de todas as modalidades que são realizadas pela administração municipal.

Fonte: Painel Politico

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui